segunda-feira, 20 de abril de 2009

Guararema

(aquarela = by Marina)

Pequena cidade do interior paulista, colada na Grande São Paulo. Desde criança conheço esta cidade. Não mudou quase nada, pelo bem de todos. Continua com seu aspecto pacato e deve ser o local aonde existe a maior concentração de restaurantes por habitantes; à toda hora abre mais um. E saborosos. Também tem uma grande concentração de alambiques, todos caseiros. Voce pode comer e beber ou beber e comer. Já levei muitas pingas de lá para amigos na Europa e sempre são apreciadas. Também levei amigos da Europa para lá e apreciam bastante sair da grande metrópole e descobrir Guararema, cortada pelo Rio Paraíba do Sul. Íncrivel como sempre aparece alguém que conhece Guararema ou que é de Guararema na minha vida. É como a Barquedo de meu avô paterno, na Italia, Piemonte, literalmente perdida no meio do mapa mas tem sempre alguém que ouviu falar.
Cena No. 1 - num elevador no Guarujá, um senhor carregando capacete de motoqueiro e ropeta de couro, barro nos pés (botas). Conversa vai e vem, disse que "ontem" tinha feito um passeio com a turma para almoçar num restaurante fantástico numa cidadezinha do interior. Em Guararema? perguntei.
Matei a charada na hora ante o olhar estupefato do dito cujo.
(segredo, que não contei = todo mundo faz isso: caravanas de carros antigos, os motoqueiros de várias marcas, corredores de bicicletas, maratonistas, qualquer tribo).
Cena No.2 - década de 60 - peguei emprestado o velho cavalo do administrador do sítio dos Rebouças para um passeio até ... até aonde o cavalo queria, acostumado que estava com o trajeto: parou em vários botecos aonde expliquei que o cavalo não havia sido roubado, ante o olhar desconfiado de vários companheiros de truco, outros de copo, do "seo" Dito; no mangueiral para apanhar leite mas eu não tinha nenhuma habilidade com tetas de vaca; no sítio do distante vizinho para uma conversa ao pé do ouvido e eu não tinha nada a dizer àquele homenzarrão com cara de bravo, nenhuma mensagem do amigo Rebouças, mesmo assim o cavalo lá cumpriu seus 20 minutos de parada; outra na bica para saciar a sede e jogar um charme nas éguas amigas. Relincho daqui relincho dali nosso passeio durou umas 6 horas, mesmo porque ele resolveu pastar, uma relva verdinha. Tudo isso num monótono passo de bicho preguiça. Só disparou nos últimos 500 metros quando viu o percurso terminado e que estava na hora dele dormir. Eu fui tomar banho. (eu adorei esse passeio)

8 comentários:

Cecília Rebouças disse...

Linda a aquarela! Ficou muito legal seu texto sobre Guararema ,parece que estou vendo o cavalo parando em todos botecos...rsrsrsr
Beijos.

marina vicari lerario disse...

Ainda bem que gostou. Aconteceu de fato. Como era mesmo o nome daquele cavalo? Era um mesmo nome para todos os cavalos que por lá passavam, não era?

Blognote disse...

Davvero molto belli questi acquarelli!! Brava, come al solito!

rafa disse...

muito legal, devia se dedicar mais as aquarelas, gostei do Clovis também

Valter disse...

Estive lá de bicicleta com meu irmão. Fomos passear na cachoeira do Putim. A ida foi uma beleza de passeio, mas a volta...
Uma semana com dor nos músculos...
Valeu a pena!

tomi disse...

Conheço Guararema e adorei a aquarela.

helivm disse...

O nome do cavalo era PIQUIRA, leiam picuira.Realmente, o trajeto era um vício...mas quando a gente colocava ele na charrete para ir buscar o DR.Rebouças que corria uns dez quilometros até o outro sítio (na Bocaina), íamos eu, a Elza, Eucário, Paulo,Décio,Judite e mais quem estivesse(sempre tinha mais algum amigo de algum irmao Rebouças junto).Porém, quando o Dr.Rebouças via de longe chegar essa turma na charrete e o pobre do Piquira bufando, dava a maior bronca e fazia os meninos descerem para ele poder voltar na charrete.Como ninguém era doido de contrariar o pai, nem fazer uma careta, dava tudo certo...salvo uns petelecos entre a criançada, depois, em casa....

Gilmar disse...

Belo texto sobre Guararema, eu e minha familia gostamos muito desta sua cidade gostosa e "saborosa", minha filha de dez anos tem um cavalo que mora por lá, vou mostrar sua historia pra ela, vai querer fazer um passeio igual ao seu, tenho certeza.
Parabéns por este espaço e obrigado por dividir conosco essa experiência agradavel.