quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Mãe coruja

Era uma vez...


Um ovinho de lagartixa perdido...


Sabia que dentro dele tinha vida (pelos meus tempos de "colecionadora" de ovinhos de lagartixa de meus 5 anos de idade), escolhi um local para que ele se "auto" chocasse e olha só o que nosso escritório ganhou: um bichinho de estimação, aqui retratado pelos olhos do celular, em seu primeiro instante de vida (essa coisa esbranquiçada é sua primeira camada de "pele" soltando).



4 comentários:

PROFESSOR CARLÃO disse...

Em primeiro lugar, parabéns mamãe!
Muito grato pela sua visita ao blog, maior gratidão ainda por se tornar seguidora. Devolvo-lhe as gentilezas! Quanto ao quadro de estatísticas, pode colocar os dois (se prefrir)como eu fiz! Um é o geocontador e o outro histats, dois contadores excelentes e que dão um toque legal aos blogues. Você pode se cadastrar lá mesmo no blog, basta clicar em cima do contador. Faz o cadastro e segue as instruções. Se necessitar de mais detalhes posso lhe explicar tudo! Estou à disposição. Beijos!

Mauricio Takiguthi disse...

Oh Marina, tem cara da mâe...
Brincadeira!! (Lembra que me chamou de Lhasa Apso?)
Abs.

helivm disse...

Pois é, vejam como sofri na minha infância,a Marina no mesmo quarto que eu, com os ovinhos guardados em cima de livros, e as lagartixinhas bebes só nascendo,e aí de mim se mexesse (na verdade eu queria mandar isso pro lixo),pois nosso pai dava o maior apoio, achando que ela ia ser bióloga. Por tudo isso eu não suporto lagartixas, da menor até um crocodilo.Trauma de infância

marina vicari lerario disse...

Sabia que minha irmã ia meter o bedelho, fazer uma piadinha about (se ela é traumatizada, tadiiiinha, porque não soube aproveitar a gde. chance q teve a meu lado? rss rss). Mas... VOCÊeee, Maurício, NUNCA pensei... fi-nal-men-te, entrou na nossa turminha,; eu tenho o maior orgulho das lagartixas e gosto de ser mamãe delas. quá quá quá. Parece q o único +/- sério é o prof. Carlão. Será?